Now United está unindo o mundo através da arte

A diversidade é um assunto que sempre esteve em alta e que não podemos deixar cair. Vivemos em um mundo com 193 países, culturas extremamente diferentes e cada pessoa com a sua própria personalidade. Mas, e se existisse um grupo que juntasse jovens de diversos lugares do planeta para representar o amor, a união e a diversidade?

O Now United é um projeto iniciado pelo visionário Simon Fuller (criador do American Idol), que decidiu unir talentos do mundo através de uma seleção pela internet. O grupo é composto por 14 membros que dançam, cantam e representam seus respectivos países: Any Gabrielly (Brasil), Bailey May (Filipinas), Diarra Bae (Senegal), Heyoon Jeong (Coreia do Sul), Hina Yoshihara (Japão), Joalin Loukamaa (Finlândia), Josh Beauchamp (Canadá), Krystian Wang (China), Lamar Morris (Reino Unido), Noah Urrea (Estados Unidos), Sabina Hidalgo (México), Shivani Paliwal (Índia), Sina Deinert (Alemanha) e Sofya Plotnikova (Rússia).

O Brasil não poderia ficar de fora e é bem representado pela Any, que é a voz principal do primeiro single do grupo, “Summer In The City”. No país, ela fez dois grandes trabalhos que levaram seu nome ao público: um musical da Broadway do clássico “O Rei Leão”, e deu a voz para uma das grandes personagens da geração, Moana. A animação da Disney abriu portas para Any e, após divulgar um vídeo cantando a música tema do filme, “Saber Quem Sou” (versão em português de “How Far I’ll Go”, cantada por Auli’i Cravalho), os brasileiros a conheceram de verdade e se apaixonaram por ela. A sua carreira decolou quando decidiu enviar o seu vídeo de inscrição para entrar no Now United e agora a garota é o orgulho do Brasil.

Any Gabrielly

Em uma entrevista exclusiva para a Contrast Brasil, Any falou sobre seu caminho para chegar onde está e contou como é a sua vida agora no grupo. Falou sobre a importância da Disney em sua vida e sobre o feminismo, que é um dos grandes temas de Moana.

Além de conversar com a brasileira, batemos um papo com outros 12 membros do Now United, que contaram um pouquinho sobre o projeto, a importância de unir culturas e como a arte ultrapassa barreiras na comunicação.

Sabemos que é um peso e tanto representar o Brasil, como você se sente em relação a isso, rola aquele medo de não superar as expectativas? Any: Eu me sinto extremamente honrada! O Brasil é um país especial e que tem muita cultura, além de as pessoas serem amorosas e cheias de energia. As borboletas no estômago são inevitáveis, mas os brasileiros são tão incríveis e receptivos que eu me sinto confiante e motivada em representar o meu país da melhora maneira possível!

Os americanos vivem uma realidade diferente dos brasileiros. Como você vê o investimento em arte? Tem tanta gente talentosa no Brasil, mas você acha que as pessoas têm a oportunidade de seguir a carreira musical, dança, teatro etc lá? Any: No Brasil, a arte não é vista como profissão e sim como um hobbie. Atualmente, todos os artistas brasileiros estão lutando contra uma possível lei que diz que ser artista não é um trabalho, então isso elimina todos os nossos direitos legais na indústria. Essa é a linha entre o Brasil e os Estados Unidos, a mentalidade. Eu acho que a carreira é possível em qualquer lugar, mas é muito melhor e mais fácil onde você tem apoio e conhecimento.

Qual conselho você daria para jovens brasileiros que querem seguir uma carreira parecida com a sua? Any: Acredite e trabalhe duro! Se você não acreditar nos seus sonhos, nunca terá motivo para levantar e sair da cama. Você também precisa trabalhar duro, porque as oportunidades existem, mas você precisa estar pronto para elas.

Você deu a voz para uma personagem muito importante para a nossa geração. Moana é a prova de que vários conceitos estão mudando e que as mulheres podem ser heroínas de suas próprias histórias. Como você se sente fazendo parte de toda essa representatividade? Any: Eu me sinto orgulhosa! É tão bom ser capaz de inspirar e mudar a perspectiva das pessoas. Como mulher, isso também é um presente para mim. Moana mostra que temos voz, que somos fortes e eu sou uma das pessoas que irá compartilhar esse fato com as próximas gerações.

Além de Moana, você esteve na versão brasileira do musical “O Rei Leão” em 2013. A Disney sempre fez parte da sua vida? Any: A Disney não apenas fez parte da minha vida, mas também da minha mãe e da minha avó. Eu cresci assistindo as princesas e as aventuras do Mickey! Eu nunca imaginaria que minha carreira começaria com algo que eu sempre estive muito conectada.

Você é a voz principal de “Summer In The City”. Como você reagiu quando soube que seria a principal na primeira música do Now United? Any: Eu fiquei muito feliz. Isso fez eu sentir que todo o trabalho duro valeu a pena. E isso apenas melhora! Depois de trabalhar com o Red One no estúdio, eu vi isso ganhando vida com meus 13 amigos talentosos do mundo inteiro. Todas as vezes que performamos, é uma nova energia, muito mais forte e melhor.

Quando caiu a ficha de que vocês estavam representando seu país para o mundo todo? A pressão deixou vocês nervosos? Lamar: Foi quando o departamento de figurino colocou uma bandeira do Reino Unido na minha roupa, e quando fui adicionado ao grupo. Às vezes é assustador quando eu penso nisso, porque eu estou tendo uma grande responsabilidade, que é representar o Reino Unido da melhor maneira possível.

Joalin: Foi muito especial. Eu entrei no campo de boot camp como finalista pelo México. Depois que o Simon Fuller (criador do Now United) escolheu 11 membros, ele surgiu com uma grande surpresa: me adicionar como representante do meu país de origem, Finlândia. Obviamente, eu estava sobrecarregada e muito orgulhosa de mim e da pequena nação que estou representando. Eu fiquei impressionada, principalmente porque não moro na Finlândia e os cidadãos são bem orgulhosos pela nação, então eles querem a melhor representação para o seu país.

Shivani: Foi no último dia do boot camp, quando Simon anunciou os 14 membros do grupo e disse meu nome como representante da Índia. De primeira, eu estava muito nervosa quando eles estavam chamando os nomes por países, mas quando ele disse o meu, eu estava muito feliz e entusiasmada.

Sina: Foi quando eu pensei em ir para a Alemanha com o Now United. Me deixou tão nervosa pensar sobre quando performarmos na Alemanha, pensar em quantas pessoas irão pensar sobre eu representar elas. É muita pressão, mas darei meu melhor.

Você sempre sonhou em cantar e dançar ou tinha outros objetivos antes do Now United? Josh: Eu quis ser artista a partir dos meus 6 anos de idade. O que eu sinto no palco e com o público é incomparável, eu gostaria de fazer isso pelo resto da minha vida.

Lamar: Eu sempre quis cantar, dançar e criar música não só para mim, mas para outras pessoas. Eu gosto de fazer os outros felizes e, para mim, o entretenimento é a melhor maneira de fazer isso.

Shivani: Eu sempre sonhei em ser dançarino e performer em uma grande plataforma, e esse sonho só se tornou possível através do Now United.

Sina: Sim, eu sempre sonhei em ser cantora e dançarina. Eu lembro de quando eu tinha 6 ou 7 anos e dançava no meu quarto com um microfone falso, imaginando estar em um show, em um palco grande e com muitos fãs.

A língua foi uma barreira muito grande? Porque sabemos que a Hina não fala inglês, então como vocês se ajudam para se comunicar? Lamar: Eu já disse isso uma vez e direi milhões de vezes: música é uma linguagem para todos, então realmente não há uma barreira. A tecnologia é tão avançada, nós colocamos no tradutor, mas ela [Hina] está indo muito bem e está realmente progredindo no inglês. Ela não é a única que não conseguimos entender. Devido ao meu sotaque e jeito de falar, às vezes eu tenho que repetir o que estou falando várias vezes, é até legal na verdade.

Diarra: No começo, a língua foi uma grande barreira para mim porque eu aprendi inglês na escola e não era o suficiente, então eu comecei a assistir filmes em inglês com legendas e tentava falar com as pessoas mesmo cometendo erros. Agora eu até que sou boa. Nós ajudamos a Hina com tradutores online.

Sina: A língua foi a maior barreira para mim no começo, porque eu não estava confiante o suficiente para falar em inglês. Eu quase nem fui ao teste, mas quando cheguei em Los Angeles, cheguei à conclusão de que não valia a pena pensar sobre as barreiras do idioma, porque há tantas formas de comunicação. Depois de alguns dias eu não estava mais com medo de falar inglês.

Sofya: Eu diria que o inglês não é uma barreira para nós. Nós todos temos níveis diferentes e todos temos alguns problemas no idioma que precisamos melhorar. Mas nós sempre conseguimos nos comunicar na língua da dança e do canto. Mais do que isso, Now United é uma família, então precisamos realmente dar suporte uns aos outros, especialmente à Hina. Ela está fazendo um grande progresso no inglês.

Viver com várias pessoas de diversas partes do mundo é sempre um aprendizado. Com qual cultura você se identificou mais e o que aprendeu? Heyonn: Alemanha. Sina e eu temos tanta coisa em comum com nossas personalidades inspiradas em nossas culturas. Por exemplo, a importância das boas maneiras e respeito.

Joalin: Nos meus 16 anos de vida eu mudei muitas vezes de casa, cidade, país, até de continente! Depois disso eu posso me considerar uma pessoa multicultural. Now United é apenas como um outro dia, compartilhando experiências e tradições com pessoas ao meu redor. Eu aprendi que não importa qual idioma você fala, não importa o que você gosta de fazer, não importa de onde você é, você pode se conectar perfeitamente com qualquer um, não importa de onde eles são.

Shivani: É verdade que vivendo com pessoas de diferentes partes do mundo é sempre um aprendizado, como eu, que aprendi bastante de cada cultura. Mas eu me identifiquei mais com a cultura da Rússia e do Japão, e eu aprendi algumas frases no idioma deles e sobre o estilo de vida.

Bailey: Eu realmente estou aprendendo a cultura brasileira, com toda a sua música. E estou aprendendo algumas palavras básicas.

São 14 pessoas reunidas em um grupo, os ensaios são uma bagunça ou vocês são realmente muito organizados e centrados? Joalin: Na verdade, os ensaios são ótimos porque todos nós estamos lá para o outro, independente da razão. Estamos sempre querendo fazer o nosso melhor! Como pessoas que tem isso em mente, nossos ensaios são ótimos!

Noah: Quando nós temos ensaios, nós somos totalmente focados e profissionais, mas quando elas acabam, nós somos uma bagunça, loucos, e no divertimos o quanto quisermos.

Krystian: Para mim, eu acho que com a ajuda de pessoas incríveis do nosso lado como Kyle Hanagami e Willdabeast, nós somos muito bons nos ensaios. Com todas essas 13 pessoas lindas de todo o mundo, apenas sinto energia positiva.

Sofya: Na minha opinião, todos os ensaios e eventos são muito bem organizados e estruturados. Nós somos muito motivados, inspirados e sempre prontos para fazer o nosso melhor.

Sobre música, o que vocês estão escutando bastante ultimamente? Heyonn: Eu sempre estou curtindo um R&B e hip hop. Ultimamente eu estou obcecada por artistas como H.E.R., The Weeknd, Miguel.

Diarra: Eu escuto música antiga como Aretha Franklin, Michael Jackson ou Whitney Houston. Eu acho que as músicas antigas são as verdadeiras músicas.

Sabina: Meu gosto musical é totalmente diferente do dos outros. Eu estou sempre escutando artistas latinos como Becky G, Daddy Yankee, Wisin, CNCO e muitos outros. Eu sempre escuto reggaeton.

Krystian: Além dos meus favoritos de todos os tempos, Billie Eilish e Kanye West, eu descobri uma garota chamada KFlay, a voz dela e a pegada Hollywood é a melhor.

Se você pudesse escolher um artista para ser o 15º membro do Now United, quem seria e por quê? Josh: Lil Pump! Não, brincadeira haha. Essa resposta é óbvia, Michael Jackson. Ele foi o pioneiro no que fez e inspirou bilhões de pessoas, incluindo eu mesmo e outros membros do grupo. A sua qualidade de performance, o nível de dança e sua habilidade vocal é algo que todos nós do Now United tentamos alcançar e eu sinto que se ele fosse o 15º membro poderíamos aprender muito. R.I.P.

Noah: Beyoncé, porque ela é a melhor de todos os tempos.

Sabina: Alguém do CNCO, e não porque é minha boyband favorita haha. É porque eles são talentosos e latinos, e precisamos de mais pegada latina no grupo.

Bailey: Se eu tivesse que escolher um 15º membro para o Now United, provavelmente seria a Zendaya, ela é extremamente talentosa e um ótimo modelo.